Gravidez: sofrer de náusea seria um bom sinal

Os primeiros quatro meses de gravidez podem ser difíceis para algumas mulheres, especialmente quando estão sofrendo de náuseas e vômitos. Mas boas notícias podem tranquilizá-los: esses sintomas estão ligados a um risco menor de aborto espontâneo. Esta é a conclusão tirada de uma revisão publicada pelo JAMA Internal Medicine e conduzida por pesquisadores do American Institutes of Health (NIH).

Os autores deste trabalho analisaram dados de 797 mulheres grávidas que tiveram um ou dois abortos espontâneos. Eles foram convidados a notar sua possível náusea em um notebook. Quase 57% deles sofriam de náuseas e 26% de vômitos a partir da 8ª semana de gestação. Durante o estudo, 188 participantes tiveram um aborto espontâneo. CONCLUSÃO: As mulheres grávidas com náuseas e vômitos têm uma redução no risco de aborto espontâneo de 50 a 75% em comparação com as mulheres que não o fazem.

Gravidezes diferentes

Os pesquisadores ainda estão no início, eles ainda não podem explicar o motivo da ligação entre a náusea e reduzir o risco de aborto espontâneo. Além disso, a origem dessas náuseas permanece um mistério do ponto de vista médico. De acordo com estudos anteriores, eles poderiam proteger o feto contra toxinas de alimentos ingeridos por sua mãe. Nós apenas sabemos que comer mais leve, dividir refeições e cheirar a odores muito fortes ajuda a reduzi-los. Os autores do estudo esperam que sua pesquisa permita que as mulheres grávidas que sofrem de náusea encontre uma forma de conforto. Mas eles apontam para aqueles que não sofrem que não precisam se preocupar. Não ter náusea não aumenta o risco de aborto espontâneo. "Toda gravidez é diferente, e os sintomas variam de mulher para mulher, e até mesmo de gravidez para gravidez na mesma mulher", concluem.